Vieses inconscientes comuns no local de trabalho

O preconceito inconsciente baseia-se em expectativas ou estereótipos inconscientes que moldam as percepções e o comportamento das pessoas em relação a outras pessoas. São criados inconscientemente pela cultura e pela sociedade, pela família e pelos grupos de pares.

Existem mais de 180 tipos de preconceitos inconscientes. Alguns deles afetam mais o dia a dia das pessoas, outros são observados principalmente no ambiente de trabalho. O preconceito inconsciente no local de trabalho pode afetar se a melhor pessoa para uma tarefa específica é realmente escolhida e se boas ideias são ouvidas e reconhecidas.

Viés de proximidade

O viés de proximidade é a suposição de que quem trabalha em casa é menos produtivo do que quem trabalha no escritório. Esse tipo de preconceito teve seu boom no início da pandemia de Covid-19, quando muitas pessoas tiveram que trabalhar remotamente no escritório pela primeira vez. E agora há empresas que trabalham de forma híbrida, e o trabalho de quem trabalha maioritariamente a partir de casa pode ser desvalorizado por causa deste preconceito.

Os empregadores podem evitar potenciais problemas continuando a utilizar ferramentas de colaboração. Quando são realizadas reuniões físicas, os funcionários remotos devem ser incluídos via link de vídeo e incentivados a ligar suas câmeras.

Viés de contribuição recente

Em épocas de avaliações anuais, os gestores correm o risco de aplicar um viés de contribuição recente ao fazer avaliações aos seus subordinados. Embora o supervisor deva avaliar o funcionário durante todo o ano, ele só pode se concentrar nos acontecimentos recentes nas semanas anteriores à avaliação.

Acompanhar as contribuições de todos e avaliá-las numa escala uniforme de critérios organiza a tomada de decisão intuitiva que pode ser afetada por preconceitos e direciona a tomada de decisão para qualidades baseadas em factos que podem realmente ser medidas.

Erro fundamental de atribuição

É uma tendência a explicar o comportamento de alguém com base em fatores internos, como características de personalidade, ao mesmo tempo que subestima a influência de fatores externos. Por exemplo, um funcionário pode não ligar a câmera com frequência durante chamadas comerciais. Uma pessoa com um erro fundamental de atribuição pode dizer que é quieta, tímida e não trabalha em equipe. Posteriormente, isso pode prejudicar a pessoa na hora de tomar uma decisão sobre promoção ou distribuição de tarefas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *